HThe
Hm

Notícias na Florêncio de Abreu

Listando: 1 à 5 de 1295
5 dicas de configuração na hora de comprar um notebook novo

Com a vasta opções de máquinas disponíveis no mercado, cada qual com pequenas (ou grandes) diferenças em configuração, é normal que o usuário que não tem conhecimento aprofundado em tecnologia se sinta perdido na hora da comprar um notebook novo – e até mesmo acabe realizando uma escolha menos assertiva para suas necessidades. Para apoiar este processo de tomada de decisão, a AMD destaca cinco dicas que podem ser observadas para garantir uma melhor aquisição.

1. Duração da bateria é tudo
Ao procurar um notebook novo, é essencial saber se a duração da bateria é compatível com a sua necessidade. Hoje, há nas prateleiras aparelhos com cada vez mais eficiência energética, como o Ideapad 3, da Lenovo. Com processador AMD Ryzen 5 5000 H-Series, podendo chegar a até 24 horas de autonomia. Também possui uma função extra de economia de bateria, além de tela Full HD de 15,6” com tratamento antirreflexo e diferentes configurações de áudio.

2. Por falar em desempenho…
Mesmo para uso doméstico, cada usuário tem necessidades diversas de desempenho do notebook. Ao realizar uma compra, é preciso ter atenção aos detalhes que podem fazer diferença na experiência de uso. Os processadores AMD Ryzen Série 5000, por exemplo, permitem que o cliente desfrute de um excelente desempenho em jogos em uma máquina fina e leve, como a Dell G15. E a empresa já anunciou parcerias para trazer modelos com AMD Ryzen Série 6000, elevando ainda mais a potência dos computadores para lazer ou trabalho.

3. Transformando criatividade em realidade
Da renderização de vídeos ao trabalho com imagens de alta resolução, notebooks como o Ideapad 3, da Lenovo, com processadores AMD Ryzen 7 Série 5000, são poderosos e eficientes, elevando a forma e a função com design premium. Isto é, sem sacrificar o desempenho pela beleza. Assim, o usuário tem em mãos um aparelho mais leve e compacto, mas que permite trabalhos com longa duração de bateria, agilidade e resultados de qualidade.

4. Mantenha-se conectado
O distanciamento social mudou a forma de conexão, seja no trabalho, seja na vida pessoal. Por isso, uma característica importante na hora de escolher um notebook novo é a qualidade e performance em videoconferências. O Acer Aspire 5, por exemplo, conta com processadores AMD Ryzen 5000 para oferecer melhor desempenho e experiências em modelos portáteis e elegantes para acompanhar as tarefas do dia a dia.

5. Segurança é essencial
Dentro do ambiente digital é difícil controlar a forma como os dados são distribuídos. Principalmente para usuários que não são profissionais de tecnologia. Por isso, ao escolher um notebook novo, é preciso estar atento também às funções de segurança oferecidas, indo além do antivírus. Por exemplo, o Asus M515, com processador AMD Ryzen 5000, tem uma tampa deslizante que funciona como um escudo de privacidade na webcam para proteção contra olhos curiosos e perturbações.

(Fonte: 33Giga) - 16/05/2022
Dell lança Inspiron 15 3000 com novo design e Core de 11ª geração no Brasil

Populares no Brasil, notebooks Dell Inspiron 15 3000 ficaram mais compactos e trazem chip Intel de 11ª geração (mas não de 12ª)

A linha de notebooks Inspiron 15 3000, da Dell, está de cara nova. As bordas da tela ficaram mais finas. O design como um todo, mais compacto. De quebra, as novas opções também podem ser equipadas com processador Intel Core de 11ª geração e chip gráfico Nvidia GeForce MX350.



Inspiron 15 3000
Foto: divulgação/Dell / Tecnoblog

Os laptops Inspiron fazem parte das opções da Dell direcionadas ao segmento de usuários domésticos. Isso explica o fato de a linha ser uma das mais populares da marca no Brasil (se não for a mais).

Em relação à geração anterior, os novos Inspiron 15 3000 são visivelmente mais compactos. Você pode até ter a impressão de que a tela do modelo diminuiu. Mas não. É o aproveitamento do espaço frontal que melhorou. O componente continua tendo 15,6 polegadas de tamanho.

Em todas as versões, mesmo nas mais baratas, a tela tem resolução de 1920x1080 pixels (full HD). Já o painel é do tipo WVA (LCD). Esse pode até não ser o padrão que oferece a melhor experiência visual em um notebook. Por outro lado, a tecnologia promete entregar visualização sob ângulos variados bastante satisfatória.



Inspiron 15 3000 versão 2021 (esquerda) versus 2022
Foto: divulgação/Dell / Tecnoblog

Intel Core de 11ª geração (e a de 12ª?)
Nas especificações internas, o novo Inspiron 15 3000 conta com 8 GB de RAM (expansíveis para 16 GB) e SSD NVMe de até 256 GB. Os processadores disponíveis são os da 11ª geração de chips Intel — as opções vão do Pentium Gold 7505 ao Core i7-1165G7.

Pois é, eu também esperava que a Dell colocasse processadores Core de 12ª geração por aqui. Provavelmente, a companhia não fez isso por uma questão de controle de custos.

Vale destacar que a linha Inspiron 15 3000 também pode ser equipada com chips AMD Ryzen 5 3450U e Ryzen 7 3700U. Ambos têm GPU integrada Radeon Vega 8 e Radeon RX Vega 10, respectivamente.

Já as versões baseadas nos processadores Core i5 e Core i7 contam com GPU integrada Intel Iris Xe. Como opção, os laptops com Core i7 podem ser equipados com chip gráfico dedicado Nvidia GeForce MX350 de 2 GB (GDDR5).



Inspiron 15 3000 na cor preta
Foto: divulgação/Dell / Tecnoblog

No quesito conectividade, o Inspiron 15 3000 traz recursos como Wi-Fi 5 (802.11ac), Bluetooth (versão não especificada), três portas USB 3.2, uma porta HDMI 1.4 e conexão para fones de ouvido. É um bom conjunto, mas senti falta de uma porta USB-C por aqui.

Também senti falta de um teclado retroiluminado, pelo menos nas versões mais caras. Por outro lado, todas as versões trazem leitor de impressão digital integrado.

Outras características incluem webcam com resolução 720p, bateria de 54 Wh e cor "preto carbono" ou "platinum silver — prata".

Preços e disponibilidade
Os novos notebooks Inspiron 15 3000 já estão à venda no site da Dell. Na checagem que fiz nesta sexta-feira (6), os preços começavam em R$ 2.899. Mas esse é o valor para a opção com chip Intel Pentium Gold 7505 e Ubuntu Linux 20.04. O preço aumenta para R$ 3.048 com a escolha do Windows 11.

A configuração mais cara, com Core i7-1165G7, GeForce MX350 e Windows 11 Pro, passa de R$ 6.000.

Dell Inspiron 15 3000 (2022) — ficha técnica
Tela: WVA LCD, 15,6 polegadas, 1920x1080 pixels
Processador: do Pentium Gold 7505 ao Core i7-1165G7
RAM: 4 GB ou 8 GB (expansíveis para 16 GB)
Armazenamento: SSD de até 256 GB
GPU: integrada ou GeForce MX350 para versão com Core i7
Bateria: 54 Wh
Conectividade: Três portas USB 3.2 tipo A (convencionais), uma porta HDMI 1.4, conexão para fones de ouvido, leitor de cartões, Wi-Fi 5, Bluetooth
Outros: leitor de impressões digitais, webcam de 720p, dois alto-falantes estéreos de 2 W, cor preta ou prata
Sistema operacional: Windows 11 Home ou Pro, Ubuntu Linux 20.04
Dimensões: 1,75 x 35,85 x 1,9 cm
Peso: inicial de 1,85 kg

(Fonte: Emerson Alecrim) - 16/05/2022
Apple busca na Ford a solução para os desafios do carro elétrico

Dona do iPhone contratou Desi Ujkashevic, executiva com mais de 30 anos na montadora e que terá a missão de supervisionar o projeto Apple Car.


Apple buscou na Ford uma maneira de acelerar seu projeto Apple Car. A dona do iPhone contratou Desi Ujkashevic, executiva com mais de 30 anos de experiência na montadora. A função de Desi ainda não foi detalhada, mas a movimentação, por si só, já despertou euforia na imprensa especializada.

O Apple Car vive vários desafios recentes. Muitos profissionais deixaram a equipe e mesmo os líderes do projeto foram trocados algumas vezes. Há algumas semanas, o analista especializado Ming Chi-Kuo escreveu que uma reorganização do program estaria próxima após uma debandada na equipe.

LEIA TAMBÉM: Sony, GM e Apple: interesses em comum nos carros autônomos

Na Ford, o último cargo de Desi foi diretora global de engenharia de segurança. Mas ela já passou por várias áreas em três décadas, inclusive, liderou equipes de componentes elétricos. A matéria da Bloomberg, que deu a notícia em primeira mão, chegou a considerar que um dos pontos fortes da executiva é a experiência com questões regulatórias, um dos grandes desafios da Apple.

Em setembro do ano passado, Doug Field, que cuidava de um dos projetos de carros elétricos da Apple, deixou a empresa justamente para assumir uma posição na Ford. Atualmente, quem supervisiona a área na empresa de Cupertino é Kevin Lynch, VP de tecnologia da Apple.

Leia mais em: https://forbes.com.br/forbes-tech/2022/05/apple-busca-na-ford-a-solucao-para-os-desafios-do-carro-eletrico/?utm_source=terra_capa_noticias&utm_medium=referral

(Fonte: Luiz Gustavo Pacete) - 09/05/2022
Como aumentar a segurança em apps de bancos no celular

Veja como proteger apps de bancos no celular, bloqueando acesso, ocultando e aplicando práticas para ficar seguro em caso de roubo
Índice
Mobile Banking no Brasil
Quais os principais golpes utilizados em aplicativos de bancos?
Envio de links falsos
Golpe do WhatsApp
Falsa Central de Atendimento
Dicas para aumentar a segurança em apps de bancos
O que fazer se tiver o celular perdido ou roubado?
Apagar os dados remotamente
Informar ao banco que o aparelho foi roubado
Pedir o bloqueio da linha telefônica e IMEI
Fazer um boletim de ocorrência na Polícia Civil
Mas, afinal, os bancos também são responsáveis?
Vivemos em um mundo cada vez mais dependente da internet e dos smartphones, tecnologias que se tornaram nossos aliados e facilitam o nosso dia a dia. Eles também trouxeram novas formas de lidar com o dinheiro e cuidar da nossa vida financeira. Atualmente, todos os grandes bancos que operam no país possuem apps com facilidades para os seus clientes. Com eles é possível realizar o pagamento de contas, transferência de dinheiro, investimento em recursos e acesso fácil às informações bancárias, como extratos, por exemplo.

Entretanto, a tecnologia também abriu brecha para oportunistas. Não são raros os casos de furto de celulares para invasão dos aplicativos financeiros ou então de pessoas que tiveram suas contas invadidas após abrir algum e-mail malicioso, por exemplo. Apesar do número crescente de invasões e golpes envolvendo conta em banco, alguns simples procedimentos podem ajudar a dificultar a vida dos criminosos. Nesta matéria, separamos algumas dicas para aumentar a segurança em apps de bancos. Confira!

Mobile Banking no Brasil
Os brasileiros estão cada vez mais distantes das agências bancárias tradicionais. Com o surgimento do internet banking e do mobile bank, muitos clientes largaram mão das filas e senhas e passaram a resolver suas pendências através dos smartphones. De acordo com o estudo sobre mudanças nos hábitos de consumo de serviços financeiros diante das novas tecnologias elaborado pela empresa IDC, seis em cada dez brasileiros das classes A, B e C utilizam meios digitais de pagamentos, como aplicativos próprios — PayPal, PagSeguro e Google Pay — a canais de pagamento de contas, compras e transação pela Internet.

Já outra pesquisa divulgada pela CIAB Febraban em 2021, mostra que, pela primeira vez, as transações realizadas no mobile banking representaram mais da metade (51%) do total de operações feitas no país no ano de 2020. O número de transações feitas pelo celular chegou a 52,9 bilhões, ante 37 bilhões em 2019.

Juntos, os canais digitais (internet banking e mobile banking) concentram 67% de todas as transações (68,7 bilhões) e são responsáveis por 8 em cada 10 pagamentos de contas, e por 9 em cada 10 contratações de crédito. Entre os 21 bancos que participaram do levantamento realizado pelo órgão, 8 responderam que foram abertas 7,6 milhões de contas pelos canais digitais, uma alta de 90% ante 2019.

A pesquisa também revelou que as transações com movimentação financeira feitas pelo smartphone registraram um salto de 64% em 2020, impulsionadas principalmente por conta da pandemia e do auxílio emergencial criado pelo Governo Federal para ajudar famílias durante o período. Ainda segundo os dados, praticamente todas as operações disponíveis para os clientes bancários pelo smartphone cresceram em 2020, sendo as principais: contratação de investimentos (+63%), transferências/DOC/TED (+60%), pagamentos de contas (+51%) e contratação de crédito (+44%).

Outro meio eletrônico de pagamento instantâneo que também tem apresentado crescimento avassalador é o PIX. Criado pelo Banco Central em 2020, em um ano ele se tornou o segundo meio de pagamento preferido dos brasileiros, ficando atrás somente dos cartões de crédito e débito. O meio de pagamento também é tido como o mair confiável pelos brasileiros. Segundo a pesquisa da Fiserv, encomendada pela CNN Brasil, 66% dos brasileiros acreditam que o meio de pagamento é seguro, na frente de dinheiro em espécie (57%), código de barras (57%) e cartão com chip na maquininha (56%).

Quais os principais golpes utilizados em aplicativos de bancos?
Com o crescimento do mobile banking, também surgiram diversos golpes que visam conseguir dados sensíveis do usuário e assim acessar os apps de banco. Por isso, é importante ficar muito atento ao compartilhamento de informações e aos cadastros realizados. Confira os principais golpes que ocorrem online!

Envio de links falsos
Um golpe comum é o envio de links falsos por e-mail ou redes sociais que contenham falsas informações como “seu cartão está bloqueado, atualize seus dados para desbloquear”. Muitos usuários desavisados acabam acessando esses links e fornecendo dados pessoais, como nome completo e CPF ou bancários, como número dos cartões, senhas e códigos de segurança. Além disso, alguns links podem conter vírus que roubam os dados e permitem aos golpistas acessarem suas contas.

Golpe do WhatsApp

Quando os criminosos possuem o nome e o número de celular da vítima, eles tentam clonar o seu WhatsApp. Com esses dados em mãos, eles entram em contato com conhecidos da pessoa se passando por uma Central de Atendimento ao Cliente e pede o código de segurança que chegará por SMS para fazer algum procedimento de atualização ou manutenção de cadastro. Caso a pessoa informe o código, eles clonam o WhatsApp e com acesso aos contatos da vítima, se passam por ela pedindo dinheiro emprestado.

Falsa Central de Atendimento
Assim como no golpe do WhatsApp, os golpistas com posse do nome e do número da vítima entra em contato com ela se passando pela Central de Atendimento ao Cliente de algum banco ou empresa na qual ela tenha cadastro. Nesse caso, eles pedem a confirmação de dados pessoais e financeiros e utilizam essas informações para pedir empréstimos ou fazer cadastros de cartões de crédito.

Dicas para aumentar a segurança em apps de bancos
Para aumentar a proteção do seu dispositivo e evitar golpes em aplicativos, é preciso ficar atento a várias configurações e até realizar alguns truques. Isso irá aumentar não só a segurança em apps de bancos como proteger seus dados pessoais e evitar outras fraudes no seu nome.

Tela de bloqueio e senhas

Ative o bloqueio automático do seu smartphone para o menor tempo possível após a utilização, 10 ou 15 segundos. Bloquear o celular rapidamente tornará mais improvável que o ladrão encontre seu celular desbloqueado;
Além de cadastrar a sua biometria, cadastre apenas senhas fortes. Evite sequências numéricas, datas de aniversário ou senhas repetidas;
Cadastre um PIN de segurança também no chip do seu celular, dessa forma, será preciso inserir esse código para fazer chamadas ou receber SMS após reiniciar o seu dispositivo;
Como não é recomendado usar as mesmas senhas para todos os apps, pode ser difícil recordar de todas as senhas. No entanto, não salve essas senhas em mensagens ou blocos de notas do próprio dispositivo. Considere utilizar Gerenciador de Senhas, como o SafeInCloud Pro, dessa forma, só será necessário lembrar uma senha para acessar as demais;
Não utilize o recurso “lembrar/salvar senhas” em navegadores e sites seu smartphone;
Não utilize o seu e-mail principal — aquele que você usa no celular — como e-mail de recuperação de senha. Crie uma conta de e-mail secundária, só para essa função, e deixe ela apenas no computador. Dessa forma, ninguém poderá alterar suas senhas utilizando apenas o seu smartphone;
Para melhorar ainda mais a segurança, ative a autentificação em duas etapas em seus aplicativos. É possível fazer isso no Twitter, WhatsApp, Facebook, Instagram e até mesmo no Gmail. Saiba como conferindo os nossos tutoriais.
Esconda ou bloqueie seus apps de banco
Diversas fabricantes possuem o recurso “pasta segura” que esconde aplicativos que podem ser acessados apenas através de senhas ou impressão digital. Existem também apps específicos para essas funções que podem ser baixados facilmente na PlayStore. Dessa forma, não é necessário ter um segundo celular, até porque isso pode inviabilizar transações em bancos mais seguros que utilizam sua localização para evitar outros tipos de acessos na sua conta.

Em celular Samsung, entre em configurações e procure a opção “Pasta Segura”. Após ativar, o celular cria uma área separada para você salvar os apps de banco (e outros aplicativos que prefere manter secretos), que só poderá ser aberta com PIN ou Impressão Digital;
Nos iPhone, você pode esconder apps indo em “Configurações”, depois em “Siri e Busca”, ache o app do seu banco e desative nele a opção “mostrar na tela de início”;
Em celular da Xiaomi dá para esconder e bloquear apps, para abrirem só com impressão digital. Vá no app “segurança” e procure por “bloqueio de apps”, siga a configuração. E, depois procure por “ocultar apps”;
Em celular Xiaomi você também pode entrar na gaveta de apps e arrastar o dedo duas vezes, do canto esquerdo da tela para o direito, para entrar numa “área de apps secretos”, bloqueada por senha ou impressão digital. Esconda os apps de banco lá;
O AppBlock é aplicativo de bloqueio que pode ser utilizado em qualquer dispositivo Android para bloquear com senha ou impressão digital qualquer aplicativo, inclusive os apps de banco. Após instalar, basta escolher o que você deseja proteger para evitar golpes em aplicativos. Nele também é possível esconder fotos, vídeos e outros arquivos.
Dicas para os apps de bancos

Caso você ainda escolha utilizar as mesmas senhas para muitos aplicativos, escolha pelo menos senhas diferentes para os apps de banco;
Mantenha no seu smartphone apenas apps de banco que você realmente utilize. Apagar apps e contas antigas evita os golpes de empréstimos;
Não utilize apps de bancos que não possuam autentificação biométrica ou PIN de acesso, eles não são seguros;
Reduza os seus limites diários nos cartões de créditos e saques ou transferências via PIX;
Troque de cartão de crédito uma vez por ano. Você irá se proteger de usos não autorizados e até mesmo rever serviços cobrados automaticamente.

Mantenha o sistema operacional do seu celular sempre atualizado, assim ele estará mais protegido;
Não utilize o seu smartphone com a janela aberta quando estiver no Uber ou em transportes públicos;
Evite acessar seus apps de banco em locais públicos. Prefira utilizá-los apenas em locais seguros se for possível;
Utilize apenas um cartão de crédito em aplicativos de compras, como iFood, Uber, Magalu ou Mercado Livre. Dessa forma será mais fácil realizar o cancelamento;
Caso esteja fazendo uma compra pontual, prefira utilizar a função Cartão Virtual do seu banco, assim o código de segurança será alterado após a compra.
O que fazer se tiver o celular perdido ou roubado?
Após o roubo, furto ou até mesmo a perda do seu smartphone é preciso manter a calma e realizar uma série de medidas o mais rápido possível para deixa-lo inacessível e impedir possíveis golpes em seus apps de banco. E atenção, é muito importante que você siga essa ordem:

Apagar os dados remotamente
Apagar todos os dados do seu smartphone é a primeira medida a ser tomada. Isso pode ser feito remotamente utilizando outro smartphone ou um PC.

Android
Acesse android.com/find e realize o login com sua Conta Google cadastrada no seu smartphone.

Em seguida, clique em Limpar Dispositivo. Agora todos os seus dados serão apagados do seu dispositivo, evitando que acessem seus dados pessoais e seus aplicativos.

Lá também é possível emitir um som para que você possa conferir se o seu aparelho está por perto, ou bloquear o dispositivo e sair da sua conta. No entanto, caso não seja um caso de perda de aparelho, o ideal é que você se proteja apagando os seus dados.

iPhone
Caso seu dispositivo seja iOS, o procedimento é parecido. Acesse icloud.com, clique em Buscar iPhone e confirme a sua sessão.

Em seguida em Apagar iPhone ou iPad, caso esse seja o dispositivo utilizado.

Em ambos os casos, é possível emitir um som para que você possa conferir se o seu aparelho está por perto, ou bloquear o celular e sair da sua conta (modo perdido no iOS). No entanto, caso seja um caso de celular roubado, o ideal é que você se proteja apagando os seus dados.

Informar ao banco que o aparelho foi roubado
Após formatar remotamente o seu dispositivo, é preciso ligar para a sua agência bancária e informar e pedir o bloqueio das contas informando o roubo (ou furto ou perda) do seu aparelho. Após o contato, caso haja alguma transferência indevida, a responsabilidade deixa de ser sua e passa a ser do banco.

Pedir o bloqueio da linha telefônica e IMEI
Agora você pode ligar para a sua operadora e pedir que bloqueiem a sua linha telefônica por motivo de perda ou roubo — atenção, não faça isso antes de apagar os dados do seu smartphone, pois sem internet, não será possível formatar o dispositivo — e pedir também o bloqueio do IMEI (Identidade Internacional de Equipamento Móvel) para que o dispositivo seja impedido de acessar redes móveis ou fazer ligações em outras operadoras. Os números das operadoras são:

Claro: 1052 (para ligações de qualquer telefone);
Nextel: 1050 (para ligações de qualquer telefone);
Oi: 1057 (para ligações de qualquer telefone);
TIM: *144 (apenas para ligações de celular TIM) ou 1056 (de qualquer telefone);
Vivo: *8486 (apenas para ligações feitas de um celular Vivo) ou 1058 (de qualquer telefone).
Fazer um boletim de ocorrência na Polícia Civil
O boletim de ocorrência pode ser feito em delegacias ou até mesmo online. Ele irá proteger seus direitos caso ocorra algum crime contra você ou em seu nome e também irá auxiliar as autoridades a identificar possíveis golpes.

Mas, afinal, os bancos também são responsáveis?
Apesar de muitas instituições bancárias afirmarem que não possuem quaisquer responsabilidades em caso que consumidores sejam alvos de golpes de criminosos, o Instituto de Defesa do Consumidor (Idec) afirma que os bancos têm responsabilidade, sim, já que são eles que devem garantir a segurança dos aplicativos e das operações financeiras. O órgão ainda diz que, caso a vítima tenha valores subtraídos de suas contas de maneira delituosa, ela tem direito a pedir ressarcimento de um eventual prejuízo.

O consumidor pode e deve entrar e contato com o banco para ser ressarcido, inclusive porque o banco tem todo o aparato tecnológico para identificar movimentações sucessivas ou em valor considerável que fogem do padrão da pessoa, e tem condições de bloquear esse tipo de transação

Michel Roberto de Souza, advogado do Idec.
Segundo Michel Roberto de Souza, advogado do Idec, é competência do banco comprovar que não houve falha de segurança interna e que a culpa teria sido exclusiva do cliente. Ainda segundo ele, as pessoas que enfrentarem qualquer tipo de conflito deste tipo com o seu banco, podem fazer também uma reclamação contra a instituição financeira no site do Banco Central e também no Procon.

Sempre há a possibilidade também de entrar com uma ação no juizado especial de pequenas causas e, no valor de até 20 salários mínimos, a pessoa não precisa ser acompanhada de um advogado, podendo se dirigir pessoalmente ao juizado

(Fonte: Iris Xavier) - 09/05/2022
99 anuncia parceria para impulsionar mercado brasileiro de veículos elétricos

O aplicativo de transporte de passageiros 99 anunciou nesta terça-feira uma parceria com empresas dos setores de veículos elétricos (EVs) para impulsionar o setor no Brasil.

A coalização batizada de Aliança pela Mobilidade Sustentável também inclui Raízen; Movida; Ipiranga, da Ultrapar; Unidas; Zletric, Caoa Cherry; e Tupinambá Energia, e pretende aumentar a vendas de veículos elétricos, criar 10 mil estações públicas de carregamento até 2025 e ter 100% da frota elétrica do aplicativo em 2030.

O programa pretende aumentar a participação dos veículos elétricos entre os carros novos de 2% para 10% das vendas. A 99 pretende adicionar pelo menos 300 automóveis elétricos ainda neste ano, com objetivo de chegar a 10 mil até 2025 e 100% de sua frota com zero emissão de carbono até 2030.

Para viabilizar o modelo, a aliança buscará impulsionar a infraestrutura de eletrificação da frota, com postos públicos de recarga, facilitar o aluguel entre motoristas de aplicativo e dar apoio às montadoras e às outras empresas da cadeia.

"A adoção de carros elétricos subiu 100% em um ano. Esses automóveis possuem menos impacto ambiental, preservam a saúde das pessoas e também reduzem custos com combustível em até 75%, mas ainda são muito mais caros do que os convencionais", disse Thiago Hipólito, diretor do centro de inovação DriverLAb, da 99.

(Fonte: Beatriz Garcia Reuters) - 26/04/2022
Listando: 5 de 1295

Anuncie

Sobre o Portal da Florêncio de Abreu

O Portal da Florêncio de Abreu foi lançado em 01 de janeiro de 2002, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua Florêncio de Abreu no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para a área de ferramentas e ferragens.